DANÇA CONTEMPORÂNEA PARA CRIANÇA


Venho construindo uma proposta de dança contemporânea para crianças.

Parece ousado ou pretensioso chamar de dança contemporânea, mas é isso mesmo que proponho: outra linguagem artística da dança que tenha conexão com o corpo individual, com o corpo do outro, com objetos, com os espaços e com o mundo.

Parto das minhas experiências anteriores com o balé clássico, jazz, sapateado, danças populares e principalmente da dança contemporânea desenvolvida na Urze Companhia de Dança em que sou bailarina há onze anos. Dos inúmeros workshops, oficinas de curta duração de contato e improvisação e de processos criativos, dos jogos e brincadeiras e das atividades rítmicas e expressivas que estudei e ministrei durante 12 anos de minha vida nos cursos superiores de Educação Física.

Parafraseando meu mestre Francisco Silva, “bato tudo no liquidificador e obtenho resultado”.

Penso que a linguagem artística da dança contemporânea deve levar a criança a descobrir seu próprio corpo, seu potencial e principalmente dar vez e voz a ele. Ensino primeiro as crianças a ficarem em pé, sentadas e deitadas, a usar suas alavancas para sair do chão e para voltar a ele, a dominar seu corpo no espaço com todos os seus ossos e músculos, a se divertirem com os ritmos fazendo uso do corpo no tempo musical, e depois conduzo suas percepções de uso do corpo no tempo e espaço com outros corpos dançantes.

Despertar o corpo para a dança individual e grupal, com ou sem músicas, com ou sem sons é mágico e a partir dessas percepções que despertam as crianças para seus cinco sentidos as torna mais sensíveis, corajosas e críticas. Organizam seus corpos e aflora o potencial criativo para outras e porque não dizer novas possibilidades dançantes.

Por isso ouso chamar de Dança Contemporânea para crianças. Não tem fórmula pronta, nem metodologia específica, mas é afinada com a contemporaneidade. Corpos atuais que buscam representar a verdade, a organicidade, distanciando dos padrões já sedimentados de outras linguagens artísticas da dança que representam o inatingível mundo irreal, o lado etéreo dos contos de fadas. Os temas buscam pela contemporaneidade ainda que seja através dos contos de fada.

Busco por uma linguagem atual, por originalidade e para isso preciso conhecer e despertar a dança de cada criança.

Posts Em Destaque